Segundo a OMS as doenças cardiovasculares são as que mais matam no mundo todo – aproximadamente 17 milhões de pessoas por ano. Para conscientizar a população sobre o tema a Federação Mundial do Coração (World Heart Federation) escolheu a data de 29 de setembro como o Dia do Coração. Desde então, diversas organizações no Brasil e no mundo realizam uma série de ações, incluindo a iluminação vermelha de prédios, monumentos e hospitais. Cerca de 80% das doenças cardíacas podem ser evitadas apenas com atitudes saudáveis como:

  • Não fumar;
  • Evitar o consumo de álcool;
  • Adotar uma dieta equilibrada e
  • Praticar atividades físicas.

 

Além disso, muitas dessas vidas, segundo a OMS, poderiam ser salvas por meio de melhorias no acesso à saúde, sobretudo no que diz respeito ao controle da pressão alta, do colesterol e de outras condições que aumentam o risco de doenças cardiovasculares.

Os dados mostram ainda que mais de 75% das mortes provocadas por doenças cardiovasculares são registradas em países de baixa e média renda, sendo que 80% dos óbitos são causados especificamente por ataques cardíacos e derrames.

 

Sinais de alerta

OMS ressalta que um ataque cardíaco ou derrame podem ser os primeiros sinais de alerta para um problema ainda maior. Os sintomas incluem dor ou desconforto no centro do peito e dor ou desconforto nos braços, no ombro esquerdo, nos cotovelos, na mandíbula ou nas costas.

A pessoa também pode apresentar dificuldade para respirar ou falta de ar; enjoos e vômitos; tontura e desmaios; suor frio; e palidez. Mulheres têm maior chance de apresentar falta de ar, náusea, vômito e dor nas costas ou na mandíbula.

O sintoma mais comum do derrame é a fraqueza súbita na face, nas pernas ou nos braços, particularmente em um único lado do corpo. Outros sinais incluem: confusão, dificuldade para falar ou compreender falas; dificuldade para enxergar; dificuldade para andar, tontura, perda do equilíbrio ou da coordenação; dor de cabeça severa de causa desconhecida; e desmaio ou inconsciência. A orientação é que pessoas que apresentem esses sintomas procurem auxílio médico imediato.

Fonte: OMS