A Home Doctor idealizou cinco programas de atenção domiciliar com serviços, duração e custos predefinidos. Dessa forma, atende a uma demanda das operadoras que desejam ter uma previsão clara do começo, meio e fim dos tratamentos.

“A previsibilidade de tempo, do escopo de serviços e do custo é o que diferencia os novos programas dos atuais serviços de atendimento e internação domiciliares”, explica a dra. Miriam Alves Moreira, superintendente de Relacionamento com o Cliente.

Lançados no fim de 2017, os programas – desospitalização segura, manutenção da estabilidade clínica, estabilidade pulmonar, reabilitação respiratória e curativos – podem também ser contratados diretamente pelo paciente ou sua família. Ainda este ano, a Home Doctor lançará novos programas.

Confira os diferenciais dos novos programas:

A desospitalização segura, com cinco níveis de serviço, por exemplo, destina-se ao paciente que ficou por longo tempo internado e pode ir para casa, mas precisa de cuidados simples (não técnicos), gerando insegurança nos familiares. “Muitas vezes, a família não se sente preparada para recebê-lo adequadamente. Vamos treinar a família e o cuidador para lidar com o paciente com segurança em sua nova condição. O pacote inclui orientação médica por telefone, que permite tirar dúvidas pontuais e contribui para evitar novas hospitalizações”, informa dra. Miriam.

Já o programa de manutenção da estabilidade clínica foi criado para pessoas que tiveram uma boa evolução durante a internação hospitalar ou domiciliar e não precisam mais de grandes aparatos, mas apenas uma supervisão técnica para evitar piora clínica ou reospitalizações.

Além de cuidar de ferimentos e ensinar a família como fazer os procedimentos, o programa de curativos inclui uma avaliação multiprofissional para identificar situações que possam interferir na cicatrização. “Se o paciente não tiver uma condição nutricional adequada, poderá não apresentar o fechamento da ferida, mesmo que os procedimentos técnicos de enfermagem tenham sido perfeitamente executados por um longo período. Por isso, fazemos uma avaliação com o nutricionista”, explica dra. Miriam.

Há também dois programas focados na fisioterapia respiratória, um para portadores de doenças respiratórias crônicas em condição estável e outro para pessoas que apresentaram uma descompensação respiratória aguda e ainda precisam de uma presença mais marcante do fisioterapeuta.

 

 

Editora Conteúdo/Abgail Cardoso