No Dia Mundial do Coração vale lembrar algumas ações para prevenir doenças

1521

Altos níveis de colesterol, hipertensão, tabagismo, obesidade, sedentarismo. Esses e outros fatores, reunidos ao estresse de uma vida agitada, representam sérias ameaças à saúde do coração.

Foi justamente para divulgar os riscos e incentivar a prevenção de doenças cardiovasculares que a Federal Mundial do Coração (World Heart Federation) elegeu 29 de setembro como o Dia Mundial do Coração.

As doenças cardiovasculares são apontadas como a principal causa de morte do mundo, atingindo mais de 17 milhões de pessoas por ano. Nem todos os problemas cardíacos apresentam sintomas. Por isso, os médicos recomendam exames e avaliações periódicas, principalmente após os 40 anos. Hábitos saudáveis contribuem para preservar o coração.

Veja o que você pode fazer

A Organização Mundial da Saúde recomenda práticas simples que ajudam a evitar problemas graves, como o infarto e o acidente vascular cerebral. Confira!

Não fume – O tabagismo é apontado como um dos grandes vilões do coração, aumentando em quatro vezes o risco de infarto. As doenças causadas ou agravadas pelo fumo respondem por mais de 60% das mortes do planeta. Quem consegue parar de fumar reduz em 50% os riscos de problemas cardiovasculares depois de seis meses longe do cigarro.

Faça exercícios – Inclua as atividades físicas em sua rotina. Caminhadas regulares e exercícios, orientados por profissionais, ajudam no bom funcionamento de todo o corpo.

Controle o peso, mantenha uma dieta balanceada – A obesidade, problema em alta no mundo todo, é reconhecidamente prejudicial à saúde. Excesso de açúcar, sal ou gordura se refletem na balança e na saúde do coração. Adote uma dieta balanceada – com frutas, legumes, verduras e proteínas, de preferência as advindas de carnes magras.

Controle o colesterol e a glicose – O colesterol alto é assintomático e representa um risco para o sistema vascular. Outro índice a ser controlado é o da glicose, prevenindo o diabetes, doença que está entre as causas de problemas cardiovasculares. O acompanhamento e a orientação de um médico nesses casos são fundamentais.

Controle a pressão arterial – A hipertensão arterial aumenta a probabilidade de derrame, infarto e insuficiência cardíaca, entre outros problemas. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, 27% das mulheres e 21% dos homens não hipertensos.

Editora Conteúdo/Maria Inês Caravaggi