Governo fecha acordo para reduzir açúcar em diversos produtos fabricados no Brasil

178

O Ministério da Saúde divulgou no final de novembro um acordo com a indústria de alimentos e de bebidas para reduzir os teores de açúcar de biscoitos, bolos, produtos lácteos, achocolatados e misturas para bolos. A meta é retirar 144 mil toneladas do ingrediente nesses produtos nos próximos quatro anos.

O número sozinho é alto, mas representa 2% do uso de açúcar pela indústria  no preparo dos alimentos que fazem parte do acordo. Neste primeiro momento, a iniciativa vai envolver 68 empresas – 87% do mercado brasileiro nessas categorias. A ideia foi fazer uma média da utilização de açúcar nos produtos e, com base neste cálculo, definir a redução.

Mudança em fases

Pelo cronograma, empresas terão de fazer a mudança em duas fases, de dois anos cada. O acompanhamento será feito a partir de rótulos e de análises laboratoriais. Empresas que não cumprirem o pacto serão notificadas. Como é voluntário, não há penalidade.

A maior redução será das rosquinhas. A cada 100 gramas de rosquinha, 75 gramas são de açúcar. A ideia é que, em quatro anos, esse teor caia para 28,2 gramas, redução de 62,4%. Cada 100 gramas de wafers têm 54,9 gramas de açúcar. O plano é, com redução de 30,1%, esse teor vá para 38,4 gramas. Os porcentuais variam de acordo com produto. Alguns achocolatados terão seu teor de açúcar de 95 gramas (a cada 100 gramas do produto) para 85 gramas.

Dados do governo indicam que o brasileiro consome 50% a mais de açúcar do que o recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Em média, por dia, cada habitante ingere 18 colheres de chá do produto. Na última década, o diabete cresceu 54% nos homens e 28,5%, entre mulheres.

Editora Conteúdo