Na bagagem para a viagem de férias, é preciso pensar também na saúde

159

As férias estão marcadas, o local foi escolhido, o meio de transporte definido. Antes de preparar as malas, é hora de pensar em como viajar com saúde. A primeira providência é checar a carteira de vacinação, de adultos e crianças, com pelo menos 10 dias de antecedência da data da partida. O Ministério da Saúde recomenda atenção especial às vacinas contra sarampo, hepatites A e B, e a febre amarela.

Se a viagem for internacional, é preciso lembrar que alguns países exigem o certificado de vacinação, que só é obtido em alguns postos. Se você ou alguém de sua família faz parte do grupo que não pode tomar a vacina da febre amarela, leve repelentes para se proteger contra o ataque do mosquito transmissor da doença.

Remédios na bagagem

Ao separar roupas e objetos para a viagem, deixe espaço na mala para os medicamentos. Para os remédios de uso contínuo, o ideal é levar a quantidade adequada para todo o período em que estiver fora. É bom, também, contar com a receita de seu médico prescrevendo o medicamento, se possível com uma versão em inglês.

Os medicamentos de uso imediato podem ficar na bagagem de mão. Não se esqueça daqueles que fazem parte da “farmacinha” caseira – um analgésico ou um antiácido, por exemplo.

Leve, também, filtro solar. Na praia ou no campo, viagem inclui caminhadas e programas à luz do sol. Melhor proteger a pele, evitando problemas imediatos – uma queimadura por sol, por exemplo – ou futuros, como o câncer de pele. Coloque na bagagem, ainda, um bom par de tênis. Para andar ou correr, é preciso contar com calçados adequados.

No avião

Se a viagem é de avião e o problema são os enjoos, a recomendação é não voar com o estômago vazio. Coma algo leve, como fruta, salada, bolachas, barras de cereais ou torradas antes e durante o voo. Evite café, chá preto, álcool, nicotina e refeições com muita gordura e condimentadas. Os alimentos com vitamina B-1 têm um papel importante na transmissão dos impulsos nervosos e ajudam a prevenir o enjoo e os problemas de equilíbrio. Entre eles, estão alcachofra, peixe, flocos de aveia, arroz integral, aspargos e carne de porco.

Procure, também, um lugar no corredor central, no nível das asas, local do avião onde se sentem menos os movimentos da aeronave. Caso não seja possível, escolha um lugar na janela. Se voar de dia, pode acalmar o estômago nervoso fixando os olhos num ponto do horizonte, o que alivia a sensação de náusea.

Outro problema comum nas viagens aéreas são dores de ouvido. Tente tampar o nariz e, com a boca fechada, comprimir o ar com força para a parte de trás da garganta. Como medida de prevenção, você pode aplicar um spray nasal descongestionante em ambas as narinas cerca de meia hora antes de o avião decolar. Movimentos de mastigação e bocejos também ajudam a melhorar a pressão nos ouvidos.

Mais um cuidado nas viagens aéreas ou rodoviárias: longos períodos em posição sentada e com pouca movimentação restringem a circulação de retorno do sangue ao coração. Pode ocorrer a acumulação de líquidos, sobretudo na parte inferior das pernas. Em alguns casos, pode se desenvolver um coágulo de sangue na parede vascular, chamado de trombose, com risco de embolia pulmonar.

Algumas pessoas têm maior risco de trombose: as com idade superior a 60 anos, com excesso de peso, grávidas, fumantes ou pacientes com câncer. Para prevenir esse problema, é possível usar as chamadas meias de compressão. De tempos em tempos, movimente-se um pouco e tome bastante líquido.

Quer saber mais?

O portal do Ministério da Saúde tem uma seção com informações, dicas e orientações sobre a saúde do viajante. Acesse http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/saude-do-viajante

Editora Conteúdo/Ines Caravaggi