Companhia Ballet de Cegos ganha reconhecimento no Brasil e no exterior

126

O Quebra-Nozes, Copélia, Divertissement: essas e outras montagens – destaques em grupos profissionais de dança – fazem parte do repertório da Companhia Ballet de Cegos, projeto desenvolvido pela Associação Fernanda Bianchini para ensinar a técnica do balé clássico para pessoas com deficiência visual.

O projeto, que hoje é referência mundial, começou em 1995, quando a bailarina Fernanda Bianchini, atuando como voluntária, decidiu ensinar 10 alunas do Instituto de Cegos Padre Chico a dançar. Por meio do toque e da repetição de movimentos, ela construiu um método pioneiro para o aprendizado da dança.

O grupo ganhou força e, quatro anos depois, começou a receber convites para se apresentar dentro e fora de São Paulo. Hoje, os passaportes dos integrantes da companhia incluem passagens pela Inglaterra, Argentina, Alemanha, Polônia, Estados Unidos e México. O reconhecimento às atividades da equipe se traduz em prêmios como o Paulistano Nota 10, da revista Veja, o Prêmio Juscelino Kubitschek, do BID, e o Colar Guilherme de Almeida, concedido pela Assembleia Legislativa de São Paulo.

Além disso, o grupo se apresentou na cerimônia de abertura dos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012 e é tema do documentário Looking at the Stars, do brasileiro Alexandre Peralta.

Várias modalidades

Mais de mil pessoas já passaram pela Companhia Ballet de Cegos, que hoje atende 380 alunos a partir de 3 anos de idade. São ensinadas várias modalidades de dança, proporcionando aos alunos melhoria postural, sensorial e espacial, trazendo ganhos de autoestima, desenvolvendo a autoconfiança e combatendo preconceitos.

Instalada no bairro de Vila Mariana, em São Paulo, a Associação Fernanda Bianchini oferece, além do balé clássico, cursos gratuitos de dança de salão, dança contemporânea, dança do ventre, expressão corporal, aulas de canto e de condicionamento físico. A maioria dos alunos são deficientes visuais, mas são atendidas também pessoas com outros tipos de deficiência, como motora e mental.

As apresentações da Companhia Ballet de Cegos contribuem para a manutenção da entidade, que recebe doações de pessoas físicas e jurídicas, além de recursos ligados a projetos de leis de incentivo à cultura.

Quer saber mais sobre a Associação Fernanda Bianchini e a Companhia Ballet de Cegos? Acesse www.associacaofernandabianchini.org

 Editora Conteúdo/Abgail Cardoso