Programa inédito de nutrição parenteral domiciliar é lançado pela Home Doctor

233

A desospitalização de pessoas dependentes de nutrição parenteral costuma ser um dilema para a equipe médica, que tem receio em relação à segurança do paciente. Com isso, pessoas com quadro clínico estabilizado, que poderiam ir para casa, acabam sendo mantidas no hospital por mais tempo, apenas por causa da alimentação.

Diante desse cenário, a Home Doctor criou um Programa de Nutrição Parenteral Domiciliar, que pode ser aplicado a crianças e adultos com qualidade e segurança, desde que apresentem boa estabilidade clínica.

O programa conta com a coordenação de especialistas de grande destaque: a médica nutróloga pela Faculdade de Medicina da USP, doutora Melina Gouveia Castro – que também é membro da Diretoria Executiva da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral e coordenadora da pós-graduação de Terapia Nutricional em Pacientes Graves do Hospital Albert Einstein – e a médica intensivista pediátrica pela Faculdade de Medicina da USP, doutora Heloisa Amaral Gaspar Gonçalves, que é Gerente Médica da Home Doctor.

“Sabemos da dificuldade e da insegurança de levar um paciente em nutrição parenteral para casa. O programa da Home Doctor tem a assessoria de uma equipe de nutrologia qualificada para conduzir esses casos em domicílio, com conforto para o paciente e segurança para a equipe médica de que o caso será bem conduzido fora do hospital”, afirma doutora Melina.

Em geral, precisam da alimentação parenteral pessoas cujo trato gastrointestinal não tenha condições de fazer a digestão e absorção de nutrientes. São elegíveis ao programa da Home Doctor pacientes com intestino curto, fístulas intestinais ou pancreáticas, neoplasias, enterocolite por AIDS, quimioterapia e radioterapia.

A nutrição parenteral é muito comum em hospitais, podendo ser realizada de forma exclusiva ou suplementar à alimentação oral. É administrada diretamente na veia do paciente uma solução de aminoácidos, carboidratos, ácidos graxos, vitaminas e minerais, numa composição definida em função das necessidades do paciente.

O Programa de Nutrição Parenteral Domiciliar inclui gestão e acompanhamento de nutróloga especializada, enfermagem, nutricionista, médico generalista, exames e atendimento pré-hospitalar, além de envolvimento e capacitação da família. A frequência de visitas e o tipo de solução nutricional são definidos com base na classificação do paciente.

“Com essa assessoria, vale a pena começar a pensar em cada vez mais desospitalizar pacientes dependentes de nutrição parenteral. Entre os benefícios, podemos citar a baixa taxa de reinternação, redução das taxas de infecção, recuperação nutricional e melhor qualidade de vida”, afirma doutora Melina.

 Panorama e riscos da desnutrição

  • 48% dos pacientes de uma pesquisa com 4 mil pessoas internadas, com mais de 18 anos de idade, apresentavam desnutrição.
  • 13% desses 4 mil tinham quadros severos de desnutrição.
  • 1 em cada 3 pacientes internados está desnutrido1.
  • 3 vezes maior é o tempo de internação de pacientes desnutridos2.
  • 4 vezes maior é o risco de pacientes desnutridos desenvolverem lesão por pressão3.

 

1Barker LA, et al. Int J Environ Res Public Health. 2011;8:514-527

2Tappenden K. JPEN. 2013;37:482-497

3Fry DE, et al. Arch Surg. 2010;145(2):148-151

Editora Conteúdo/Abgail Cardoso