HD lança programa domiciliar especializado em cuidados paliativos

1223

Paliar Home é o novo programa da Home Doctor, que oferece suporte especializado e multidisciplinar a pacientes com doenças incuráveis, assim como a seus familiares. “O serviço de cuidados paliativos é uma necessidade emergente no campo da atenção domiciliar. São diversas as patologias que se enquadram nesse cenário, como doenças oncológicas, doenças pulmonares, neurológicas e cardíacas avançadas, entre outras”, afirma a Dra. Heloísa Amaral Gaspar, gerente médica da Home Doctor.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define cuidados paliativos como a abordagem que promove a qualidade de vida aos pacientes e seus familiares diante de doenças que ameaçam a continuidade da vida, através da prevenção e do alívio do sofrimento. Para isso, a abordagem requer a identificação precoce, avaliação correta e tratamento impecável da dor e outros problemas de natureza física, psicossocial e espiritual.

Foi para responder a essas necessidades que a Home Doctor criou o Paliar Home, que acompanha esses pacientes no âmbito domiciliar, desde as fases iniciais da doença. O programa inclui gestão e acompanhamento de equipe médica especializada, enfermagem, psicólogo, assistente social e atendimento de emergência pré-hospitalar. A frequência de visitas é definida pela equipe de acordo com a condição clínica do paciente.

(da esq. para dir.) Dra. Stephanie Santin e Dra. Ana Carolina Capuano: coordenação clínica do Programa

Foco na qualidade de vida

“Além de cuidados técnicos, o paciente de cuidados paliativos precisa de acolhimento, de um atendimento muito especializado e humanizado. Selecionamos a equipe pensando nisso, em ter profissionais capazes de lidar com pacientes com doenças graves sem perspectiva de cura”, afirma a Dra. Ana Carolina Capuano, uma das coordenadoras do Paliar Home, especialista em clínica médica e cuidados paliativos. Estão previstos também encontros periódicos da equipe para discussão clínica dos casos e educação continuada.

Professora filiada de Clínica Médica da Faculdade de Medicina do ABC e integrante do corpo clínico do Hospital Santa Helena e Rede D´Or São Luiz, em Santo André (SP), Dra. Ana Carolina explica que a equipe multidisciplinar dá apoio ao paciente e sua família em todos os aspectos. O primeiro deles, evidentemente, é fazer um bom controle da dor e outros sintomas. Mas tão importante quanto isso é ajudar a aliviar sofrimentos emocionais e espirituais, além de orientar o planejamento de questões práticas, como econômicas e jurídicas.

“Mesmo diante de doenças sem perspectivas de cura, sempre há algo que pode ser feito, sempre respeitando a vontade, as crenças e a história de vida do paciente. O que muda é o objetivo, que deixa de focalizar a cura, para buscar qualidade de vida e a manutenção do paciente o mais funcional possível. E a experiência mostra que ficar na própria casa, com a família, é o desejo da maioria dos pacientes”, afirma Dra. Ana Carolina.

Outro aspecto que precisa ficar claro, segundo a médica, é que cuidado paliativo não visa postergar nem acelerar a morte, mas fazer um bom controle para que o paciente tenha a melhor qualidade de vida possível. “Por isso, o ideal é começar o acompanhamento ainda na fase inicial da doença. À medida que o tratamento curativo se mostra incapaz de modificar a evolução da doença, vamos aumentando os cuidados paliativos”, conclui Dra. Ana Carolina, que lidera a equipe Paliar Home em conjunto com a Dra. Stephanie Santin, especialista em cuidados paliativos, cirurgiã geral e professora da UNISA (Universidade de Santo Amaro).

Editora Conteúdo/Abgail Cardoso