Irritabilidade, falta de concentração, problemas de aprendizado ou de memória. Nas várias etapas da vida, esses podem ser sintomas de que a pessoa não dormiu o tempo necessário, período que varia de acordo com a idade e com o relógio biológico de cada um.

Os especialistas concordam que o sono é importante para o bom funcionamento do organismo. Nas crianças, dormir menos que o necessário pode causar irritabilidade e hiperatividade, comprometendo o seu desenvolvimento físico e intelectual. Nos adultos, o número insuficiente de horas de sono pode elevar o risco de doenças cardiovasculares e aumentar as chances de engordar.

Para cada momento, uma necessidade

A ciência indica oito horas de sono, em média, como o período ideal para a maioria das pessoas. Questões genéticas e comportamentais interferem nessa média. Em geral, os bebês costumam dormir mais e os idosos, menos.

Levando em conta todas as diferenças, a National Sleep Foundation (Fundação Nacional do Sono) dos Estados Unidos criou uma tabela com os períodos médios de sono para cada faixa etária:

  • Recém-nascido (0 a 3 meses) – de 14 a 17 horas por dia
  • Bebê (4 a 11 meses) – de 12 a 15 horas por dia
  • Primeira infância (1 a 2 anos) – de 11 a 14 horas por dia
  • Idade pré-escolar (3 a 5 anos) – de 10 a 13 horas por dia
  • Idade escolar (6 a 13 anos) – de 9 a 11 horas por dia
  • Adolescentes (14 a 17 anos) – 8 a 10 horas por dia
  • Jovem adulto (18 a 25 anos) – 7 a 9 horas por dia
  • Adulto (26 a 64 anos) – 7 a 9 horas por dia
  • Idoso (a partir de 65 anos) – 7 a 8 horas por dia

Editora Conteúdo/Abgail Cardoso